Bem vindo(a) ao blog mariCASA.

Se você mora ou trabalha em Maricá, com certeza deve ter alguma opnião para dar em relação ao município. A beleza natural é indiscutível. Para morar, o melhor lugar do mundo. Mas para trabalhar, as reclamações são muitas. Participe da nossa enquete, queremos saber sua opnião. E lembre-se que seus comentários são importantes para a Itaipuaçu e Maricá. Boa leitura!

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

Misturando funk com pagode, Nino Pastori lança seu single no dia da consciência negra


Vai Rolar Pancadão foi boa uma sacada do Nino, com a intenção de trazer a batida do funk pro mundo do samba. E não é que a mistura ficou boa?
 

Agora em carreira solo, Nino Pastori - ex integrante do grupo Sem Mistério - passou a confiar mais em suas músicas autorais e escolheu essa mistura de batidas pra trilhar esse caminho solo. Além de cantor e compositor, Pastori é multi instrumentista e dono de um timbre marcante, que combina com sua personalidade na hora de cantar e interpretar canções. Sua experiência no mundo artístico passa por abertura de shows, como Exalta Samba, Soweto, Malícia, Sem Compromisso, Travessos, e outros. Quando participou do programa Astros, no SBT, Nino foi convidado convidado pelo saudoso Arnaldo Sacomani pra ser vocalista do Soweto, mas recusou na época, apostando em seu grupo que seria desfeito pouco tempo depois, contrariando suas expectativas.

O primeiro single promete ser só o início de um recomeço iluminado, que já conta com um álbum ao vivo gravado este ano, que será lançado no início de 2021. Enquanto isso, Vai Rolar Pancadão, está disponível desde 20 de novembro, no seu aplicativo de música, além de clipe no YouTube.

Boa sorte Nino!

Nino Pastori já gravou e vai lançar um álbum ao vivo, em 2021.

 

 

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Setembro traz o Fuzuê
de Bruna Mandz

Uma das coisas positivas que a primavera está trazendo é a nova canção pop praiana da Bruna Mandz. O novo single, Fuzuê, gravado em agosto, estará sendo tocado em todas as plataformas de streeming, rádios e Youtube a partir da zero hora deste sábado, dia 05 de setembro. Tanto a nova faixa quanto o clipe, foram produzidos por Isaac Mendhl, da Mendhl Produções, em Niterói.

Bruna é cantora e compositora, e tem no seu estilo goodvibes raízes do reggaes, misturados com a influência forte da Nova MPB. Moradora de Maricá, a cantora  possui mais de 70 canções autorais e lançou em Março de 2020 o seu primeiro single “Não Quero Mais Sentir Saudade”,  também disponível em todas as plataformas digitais junto com o videoclipe no Youtube, claro.

Em 2012, Bruna Mandz foi semifinalista do programa ‘Ídolos’,  na Record, o que abriu muitas portas em sua carreira. A cantora também participou do programa ‘Fábrica de Estrelas’ no Multishow no mesmo ano, no estúdio Midas, de Rick Bonadio. Ela ainda cantou no ‘Programa do Datena’, na Band,  em 2018, junto com a Marcella, sendo aprovada novamente por Rick Bonadio, Luiza Possi e outros jurados.

Bruna não pretende sair do estúdio tão cedo, e já separou as músicas que irão fazer parte de seu EP solo, após ter passado 3 anos de sua carreira na dupla Bruna e Marcella. A próxima, será Produzida por Rick Oliver.

Quem quiser conferir e acompanhar o trabalho da cantora podem seguir pelo instagram @brunamandz, Página no facebook: Bruna Mandz, Youtube: Bruna Mandz, Twitter: MandzBruna ou Spotify: Bruna Mandz.

(link para o pre save: https://ffm.to/d8wbo7n)


segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Bruna e Marcella lançam novo clipe, Nosso Relógio, no dia da primavera.


É o segundo clipe oficial que Bruna e Marcella lançam esse ano. Dessa vez a música é Nosso Relógio, de mesmo título do primeiro EP lançado em agosto. O vídeo foi gravado em setembro de 2019 aqui em Maricá e foi lançado dia 23 de setembro, no começo da Primavera de 2019. Obrigado meninas por deixarem a nossa vida cada vez mais colorida.

Se inscreva no canal e ative o sininho pra receber o aviso do próximo lançamento.

Site com release, fotos, redes sociais e contato: www.brunaemarcella.com

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Além de BFFs, são papa-goiabas talentosas!

Foto: David Arrais

Muito mais do que melhores amigas, Bruna e Marcella agora estão ligadas para sempre. Isso porque além de cantarem juntas, agora estão compondo e já gravaram 4 músicas que ficarão para posteridade. E olha que tem mais de 20 autorais aguardando na fila para serem gravadas!
 
Desde 2017 encantam a todos por onde passam, mas por enquanto seus shows acontecem no Rio, Niteroi e Maricá. Mas só agora, no dia 5 de agosto, o primeiro EP dessa dupla papa-goiaba será lançado em todas as plataformas digitais, incluindo Spotify e iTunes. O título “Nosso Relógio” é o mesmo da primeira faixa.

Segundo elas, um momento inesquecível, foi show que fizeram em Maricá, em Maio, na abertura pro Jota Quest. Em Julho tiveram a oportunidade de se apresentar no HighLine, evento realizado no terraço do Niterói Plaza Shopping e também na Rota Gourmet, no Campo de São Bento, onde os irmãos Melim tocavam, no início da carreira.

Bruna está super ansiosa pra saber se todos vão gostar do trabalho e Marcella, que completa 22 anos bem na data de lançamento do EP, deseja esse presente: que sua música seja ouvida em todo o Brasil. Se isso acontecer, já planejam comprar uma van e colocar o pé na estrada.


Redes sociais: /brunaemarcella

sexta-feira, 20 de março de 2015

Maricá, que ainda não tem rede de esgoto, agora sofre com o caos da falta d'água.

O município de Maricá, que fica entre São Gonçalo, Itaboraí e Saquarema, sofre desde novembro do ano passado (2014) com o problema crônico de falta d'água. O município, que só é agraciado com rede de esgoto em 5% de sua extensão, agora também está sem água.


Em nossa loja, no Centro de Maricá, recebemos água em apenas 1 dia em novembro, 1 dia em dezembro, 1 dia em janeiro, 1 dia em fevereiro e nenhum dia em março. O que estava ruim, fica cada vez pior.

A CEDAE reponde às reclamações, sempre com a mesma desculpa, automaticamente:
"Devido a estiagem prolongada, o abastecimento de água do município de Maricá está prejudicado. A Nova Cedae está trabalhando para manter a normalização do abastecimento.
À disposição para quaisquer esclarecimentos."

O governo do estado e a prefeitura, sempre souberam do problema, que não é de agora, nem novidade pra ninguém. E alguma atitude precisa ser tomada antes que novos poços artesianos retirem toda a reserva de água (subterrânea) que ainda existe no lençol freático da região. Quando isso acontecer, a demanda será maior e o caos também. Nossos governantes precisam entender que não adianta pensar em hospital, posto de saúde, asfalto, transporte, moradia, etc, em locais sem saneamento básico. Por isso é chamado de básico.

Dona Maria, desabafa no site 'Reclame Aqui', onde a CEDAE tem uma reputação no mínimo duvidosa:
"A NOVA CEDAE e que de NOVA não tem nada continua velha e arcaica. Aqui em Maricá sofremos com a falta de água e de profissionalismo dos funcionários da "NOVA CEDAE", reclamamos e nada, então, por uma coincidência ou não, fica aí a dúvida, entram em cena os carros pipas e os donos das minas ao redor do município. Será que quem é responsável pela abertura do abastecimento também leva algum, para não abrir a água e com isso os donos dos carros pipas e das minas começarem a encher a "burra"? Fica aí a minha reclamação e suspeitas."

Enquanto nada é feito para reverter essa situação, muitas reportagens locais tentam alardear o problema, ainda sem repercussão na grande mídia, e por isso, ainda sem solução. Afinal, custear carro-pipa para cada morador, está longe de ser uma realidade, muito menos uma solução.

Radio Globo

Lei Seca

TV Copacabana

O Dia

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Itaboraí inaugura estação de tratamento de chorume


Fruto de parceria entre a Estre e a FOXWATER RJ estação terá capacidade para tratar 4500m³/mês

A Estre Ambiental, em parceria com a empresa de tratamento de efluentes FOXWATER RJ, inaugura no próximo dia 18 de setembro, às 10h30, a estação de tratamento de chorume - líquido proveniente da decomposição de resíduos sólidos – do  Centro de Gerenciamento de Resíduos Itaboraí (CGR Itaboraí). A partir do início das operações, Itaboraí será a terceira cidade brasileira com tratamento exclusivo para chorume, a primeira com tecnologia exclusivamente nacional. Com capacidade inicial para tratar 4500m³/mês, a estação pode ser ampliada de forma modular.
Ter a unidade de tratamento dentro do aterro permitirá que todo o líquido oriundo do lixo, depois de tratado, seja 100% reutilizado pelo CGR Itaboraí na umidificação das vias internas do aterro sanitário. Outra vantagem será a redução dos custos e impactos ambientais relacionados ao transporte do chorume para unidades de tratamento externas. Cerca de 70 viagens por mês de carretas tanque deixarão de ser realizadas, o que contribui para diminuir a emissão de CO²,  gás causador do efeito estufa, bem como redução no tráfego viário.
O modelo de negócio adotado pela Estre no CGR Itaboraí consistiu na cessão de espaço à FOXWATER RJ para a construção da planta dentro do aterro. Ou seja, uma operação com investimento total da FOXWATER RJ, que será remunerada pelo volume de líquido tratado. Processos bioquímicos avançados, associados a Membranas de Ultrafiltração Cerâmica, são utilizados no tratamento que permite, ao final do processo, destinar o efluente à natureza, de acordo com as normas ambientais. A Tecnologia Foxwater é 100% brasileira, por isso, tem menor custo de operação e manutenção, além de estimular a indústria nacional.
O Centro de Gerenciamento de Resíduos Itaboraí recebe cerca de 1 mil toneladas de resíduos por dia dos municípios de Itaboraí, Maricá, Tanguá, Guapimirim, Cachoeiras de Macacu e Rio Bonito, além dos resíduos do Comperj, e de  grandes geradores.
Fonte: Gabriel Saboia (imagem: divulgação/Estre)

terça-feira, 24 de julho de 2012

Se um dia a água chegar a 80% de Maricá, continuará sendo lançada nos quintais?

Segundo o último levantamento do IBGE, Maricá tem apenas 7.593 residencias com água encanada de um total de quase 70.000 residencias. Para você ter uma idéia, são mais de 23 mil automóveis registrados e uma estimativa de 131.355 pessoas morando aqui. Rede de esgoto, se existe, é para apenas uma pequena parte do município próxima ao Centro.




Em 30/12/2008, no final do governo Queiroz, houve a assinatura do convênio de renovação de concessão de água e esgoto, serviços prestados pela Cedae ao município de Maricá. O convênio tem a duração de 30 anos, a contar de 2009 e contemplava um plano de metas para levar água a todos os distritos do município nesse período. Na ocasião, Ricardo Queiróz declarou, “este é o maior projeto que esta cidade já teve e que dificilmente será superado." "Vamos transformar esta cidade na maior da Região dos Lagos com esse projeto de saneamento”. Porém, desde o início de 2009 o que tem se falado muito durante o governo atual, principalmente com a chegada das eleições, é em 'obras' de abastecimento de água. Mas ninguém explica direito a respeito da implantação de uma rede de esgoto, inexistente na maior parte do município e que faz parte de todo e qualquer projeto de saneamento, mas como não aparece, não conquista votos.

Na época do convênio, Wagner Victer já era presidente da Cedae e afirmou - "Trata-se de um edital de R$ 7,4 milhões e que representa o cumprimento do compromisso assumido com o prefeito Ricardo Queiróz, que é de a Cedae voltará a investir no município."

Segundo o blog marikaakambui: "No Centro da Cidade, a CEDAE que há mais de meio século explora os serviços de captação e distribuição de água e esgoto, pouco expandiu a rede, a exemplo da Rua Álvares de Castro que vai do Centro até Araçatiba, passando por prédios de Cartório, Centro Administrativo da Prefeitura, Clube, Igrejas, Praças, desembocando no Fórum da Comarca. Nestes anos todos passados esta rua teve um acréscimo de quase 200 metros na rede de esgoto, e assim mesmo porque um alto funcionário da CEDAE, à época, havia comprado um imóvel nesta rua, e foi só." 

Quem mora no Rio de Janeiro ou Niterói deve se perguntar: se não há rede de esgoto, onde é lançado o esgoto em Maricá? Nós respondemos. A grande maioria das casas, como é exigido pela própria Prefeitura, possui um sistema 'particular' de tratamento de esgoto com fóssa séptica, filtro anaeróbico e sumidouro. Isto é, a água que vem de poços é utilizada e depois passa por um sistema de filtragem financiado por cada morador e lançada ao solo no quintal de cada casa. A previsão é de que aconteça o que está acontecendo em Itaipuaçu. O solo está sobrecarregado com um água de cheiro forte e cor escura, repleta de coliformes fecais e outras bactérias, que não são eliminadas pelo sistema de esgoto particular, devido à proximidade das casas. Além das casas que despejam seu esgoto diretamente, sem tratamento algum, em rios, canais, lagoas e lagos espalhados pelo município.

Nós, da equipe mariCASA, ainda encontramos dificuldades de atendimento pela CEDAE para novas instalações, até mesmo no Centro de Maricá. Imagina em Itaipuaçu como será, dentro de condomínios? Esse é outro problema que acontece devido as diretrízes vigentes no município, que incentivaram (só esta modalidade residencial é aprovada) a criação de "Condomínios". Na verdade trata-se de loteamentos cercados, que absorvem veladamente a obrigação da prefeitura de distribuição de água, esgoto, correios, luz, posteamento, coleta de águas pluviais, limpeza, organização do lixo etc. É justo que estes grupos de moradores 'residenciais' disfarçados de condomínios fiquem com toda essa obrigação e, além disso, pagar Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU)? E pra piorar, ainda são acrescidos de uma taxa de 'contribuição de iluminação pública' em sua conta de luz residencial?

O que as pessoas não sabem é que é OBRIGAÇÃO da Cedae levar a água tratada a todos. E que a Cedae é um órgão público, portanto somos todos nós que pagamos os salários de seus dirigentes e funcionários, contratados pelos nossos governantes (também funcionários do povo) a prestar com qualidade o serviço de saneamento básico, mas que infelizmente é um assunto tratado como 'favor' ou 'conquista', principalmente em épocas de eleição.

Fontes: IBGE e Cedae
Vale a pena ler também o texto de Fabiana Amaral no link do Itaipuacusite.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Etapa Maricá do Circuito Carioca de Trekking



A cidade de Maricá vai receber dia 17 de junho, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), o Circuito Carioca de Trakking. O esporte, que é um enduro a pé de regularidade, está com inscrições abertas e podem ser feitas pelo site www.trilhacarioca.com.br/inscricao

A competição conta com apoio da Prefeitura Municipal de Maricá, através de diversas secretarias, entre elas a de Turismo e Lazer, e a Secretaria de Esportes, e deve atrair cerca de 150 competidores divididos em 50 equipes. Esta é a sexta vez que a prova acontece aqui na cidade. Bairros como Espraiado, Itaipuaçu, Retiro e Inoã já receberam a prova de regularidades. Para o organizador do evento, Cadu Freitas, a Maricá tem sido escolhida por vários fatores. “A cidade tem um grande potêncial de trilhas e paisagens, além de ser de fácil acesso e perto dos grandes centros, e é belíssima”, concluiu.

Para as categorias Experiente e Intermediário o percurso é de aproximadamente 8 km e sua duração aproximada gira em torno de três horas. Todos podem participar do enduro. Cadu orienta apenas as pessoas que tenham vida totalmente sedentária que não participem. A categoria Novatos terá uma prova mais leve com duração aproximada de uma horas e meia. O percurso ainda não foi montado, segundo o organizador, mas em breve todos os dados estarão disponíveis no site do Trilha Carioca. A concentração e inicio da prova acontece na Praça da Divinéia, Barra de Maricá a partir das nove e meia e vai percorrer diversos pontos do bairro, retornando à Praça onde será realizada a premiação. Por ser uma atividade que leva os praticantes a caminhar, exigindo esforço físico moderado, o esporte é recomendável e praticado por atletas de todas as idades e classes sociais.

O que é

O Trekking ou Enduro a pé de regularidade é um esporte constituído de provas onde se devem percorrer trilhas preestabelecidas em planilhas que fornecem informações como figuras representativas sobre o caminho, direções para navegação por bússola, velocidade de caminhada e comprimento dos trechos do percurso.

Fonte: Secretaria de Turismo de Maricá e Trilha Carioca
Maricá recebe Circuito Trilha Carioca durante a Rio+20

Informações http://www.trilhacarioca.com.br/inscricao/index.asp